por angelica ca e paulo eneas
A Câmara dos Comuns do Reino Unido aprovou na última na semana passada uma lei instituindo a obrigatoriedade da vacinação experimental contra o coronavírus de profissionais de saúde de home care, bem como de outras profissões que envolvam atendimento domiciliar, como esteticistas e outras.

A lei foi aprovada por maioria de 319 votos a favor e 246 contrários. A exceção da obrigatoriedade somente será aplicada mediante justificativa médica. A lei estabelece a obrigatoriedade da vacinação como condição para permanência no emprego nas respectivas profissões afetadas.

Funcionários não vacinados terão um período de carência de 16 semanas até que a lei entre em vigor no final de outubro. Após este prazo, poderá ser aplicada uma multa de até quatro mil libras a quem não cumprir a obrigação de se vacinar contra o coronavírus.

Os funcionários que se recusarem a ser vacinados podem ser orientados a buscar outro trabalho que não inclua atendimento domiciliar, conforme determina o Departamento de Saúde e Bem-Estar do Reino Unido.

A obrigatoriedade da vacinação contra o coronavírus a ser imposta a quase toda a população do planeta sempre esteve presente em nossas análises.

Sempre observamos que esta obrigatoriedade não viria necessariamente de modo ostensivo, mas sim de modo gradual, por meio de controle burocrático estatal e medidas de restrição de direitos a pessoas que não se vacinarem.

Esta recente legislação adotada no Reino Unido e medidas semelhantes que estão sendo tomadas em outras parte do mundo evidenciam esta realidade. Não resta dúvida que no curto prazo a obrigatoriedade da vacinação será uma realidade ao menos em quase todo o Ocidente. Tal como os globalistas planejaram. Informações de BlesMundoLife Site NewsCare Home.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE