por paulo eneas
A histeria da esquerda e da velha imprensa a respeito do desfile de veículos militares ocorrido na manhã desta terça-feira (10/08) em Brasília (DF) mostrou ser apenas isto: uma histeria destinada a criar narrativas falsas para acusar o Presidente da República de supostas intenções golpistas, intenções estas que somente existem no imaginário doentio da esquerda.

O desfile de blindados da Marinha do Brasil ocorreu dentro da normalidade e conforme já havia sido informado em nota oficial no dia anterior: o comboio militar saiu do Estado do Rio de Janeiro em direção à cidade de Formosa (GO), onde serão realizados exercícios de treinamento militar, como já ocorre há mais de trinta anos.

Ao passar por Brasília, o comboio parou em frente ao Palácio do Planalto, onde foi recepcionado pelo Presidente da República e pelo Ministro da Defesa. O presidente recebeu um convite oficial da Marinha do Brasil para assistir ao treinamento em Formosa (GO), que será realizado ainda neste mês de agosto.

Histeria da esquerda para gerar narrativas
O fato de a PEC do voto impresso ter sido agendada para ser votada pelo plenário da Câmara dos Deputados no mesmo dia da passagem do comboio militar pela capital federal foi o suficiente para gerar uma reação histérica e doentia de políticos de esquerda e da militância esquerdista nas redações e estúdios da velha imprensa.

Esta reação histérica, que descrevemos no artigo Desfile de Comboio Militar em Brasília Gera Histeria nos Comunistas e na Velha Imprensa, levou figuras como o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Pandemia do Senado Federal, a fazer discursos condenado o desfile do comboio militar, repetindo a falácia de que o ato representaria alguma insinuação golpista e uma suposta ameaça à democracia.

Por sua vez, os partidos comunista da Rede e PSOL recorreram ao Supremo Tribunal Federal pedindo que a corte suspendesse o desfile. O pedido obviamente foi recusado. O senador também esquerdista Alessandro Vieira (Cidadania-SE) anunciou em sua rede social no dia anterior que também entraria na justiça para impedir o desfile.

Veículos da velha imprensa mais próximos ao esgoto do jornalismo, como o blog O Antagonista, estiveram em vias de anunciar um suposto Golpe de Estado, como se isto fosse líquido certo, e emissoras como a CNN Brasil e Globo News deram amplo espaço a estas narrativas e às reações histéricas afetadas destas figuras públicas.

O fato é que o desfilo foi realizado conforme programado, e nenhum fato excepcional dele decorreu: encerrado o desfile, a CPI da Pandemia no Senado Federal deu início a seus trabalhos normalmente, o presidente deu andamento à sua agenda, e a Câmara dos Deputado deverá votar na tarde desta terça-feira a PEC 135 do voto impresso.

Ou seja, o desfile militar em nada alterou a rotina anormal que o Brasil vive já há muito tempo. A única suposta ameaça que existia a esta normalidade esquizofrênica que o país vive existia no imaginário igualmente esquizofrênico e histérico daqueles que realmente têm muito o que temer se esta anormalidade vier a ser quebrada: os comunistas, parcelas expressivas do estamento burocrático e seus lacaios na velha imprensa militante.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE