O governador esquerdista do estado norte-americano de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou nesta terça-feira (10/08) sua renúncia ao cargo. A renúncia ocorreu a pedido do Procurador-Geral do Estado de Nova York em meio a um escândalo no qual o governador democrata é acusado por onze mulheres de ter praticado assédio sexual.

Não é a primeira vez que um político do Partido Democrata, o maior partido de esquerda do Ocidente, é acusado de envolvimento em crimes sexuais. Andrew Cuomo deixará o cargo em duas semanas.

Andrew Cuomo foi o responsável por impor ao Estado de Nova York um dos mais rígidos lockdowns em todo os Estados Unidos, o que não impediu que o estado registrasse um dos mais elevados índices de fatalidades devido ao coronavírus.

O governador chegou a proibir atividades religiosas, o que gerou protestos da comunidade judaica ortodoxa da cidade Nova York, conforme o Crítica Nacional mostrou nesta reportagem aqui, de outubro do ano passado. Posteriormente, o próprio Andrew Cuomo precisou reconhecer que a maioria das pessoas internadas por coronavírus eram aquelas que estavam fazendo lockdown.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE