O ex-presidiário e chefe petista Lula afirmou na semana passada que se voltar à presidir o país irá impor a regulamentação dos meios de comunicação. A fala de Lula gerou reação entre as algumas figuras públicas da direita, que passaram então a cobrar da velha imprensa um posicionamento ante esta flagrante intenção de censura. Ocorre que esta cobrança é inútil, pois a velha imprensa nada irá dizer a respeito, como de fato não disse até agora.

Em primeiro lugar, por que a velha imprensa sob controle total das esquerdas já exerce a auto-regulamentação há anos, por meio da permanente construção de narrativas alinhadas com a mentalidade revolucionária e completa ausência de compromisso com a verdade factual. Basta ver as narrativas que a imprensa cria sobre a pandemia, ou sobre as imaginárias intenções golpistas do presidente, para constatar isto.

Em segundo lugar, por que a fala o ex-presidiário petista não foi dirigida à velha imprensa, que é cúmplice ideológica de seus atos. A fala foi dirigida aos conservadores e à direita em geral: Lula promete que, na hipótese de voltar à presidência, esse segmento será calado, como na prática já vem ocorrendo hoje, independentemente de ação direta dele, sob o aplauso desta mesma velha imprensa.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE