Em uma declaração à agência de notícias Reuters no final de agosto, a Comissão Europeia, órgão que de fato governa a União Europeia, alertou os países do bloco contra as aplicações unilaterais e indiscriminadas de doses de reforços das vacinas experimentais contra o coronavírus.

A Comissão Europeia afirmou que não há informações suficientes disponíveis sobre os riscos potenciais associados a uma terceira dose. Como muitos países europeus já planejam aplicar doses adicionais, esta aplicação poderá enfrentar riscos legais, uma vez que ela não estará recomendada pelo órgão regulador de medicamentos da União Europeia.

Segundo a comissão, os laboratórios farmacêuticos produtores das vacinas experimentais estarão sujeitos a responsabilização legal em casos de efeitos colaterais se as doses de reforço forem aplicadas sem a aprovação da Agência Europeia de Medicamentos.

Enquanto isto no Brasil a aplicação de doses extras das vacinas experimentais está sendo anunciada por governadores à revelia de qualquer posicionamento oficial do Ministério da Saúde ou da Anvisa. Fonte: Agência ReutersLife Site News.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE