por angelica ca e paulo eneas
Um novo estudo realizado em Israel, país que tem um dos índices mais elevados em todo o mundo de vacinação contra o coronavírus, descobriu que a proteção imunológica natural desenvolvida após uma infecção pelo vírus chinês é muito mais eficaz contra a variante delta do coronavírus do que a imunidade supostamente induzida pela vacina.

O estudo descobriu que as pessoas que já foram infectados pelo coronavírus são menos propensos a contrair a variante delta, desenvolver sintomas ou ser hospitalizados em estado grave de Covid-19 que os indivíduos vacinados que nunca foram infectados. Os resultados, revisados por pares, foram publicado em agosto na Revista Science.

De acordo com o estudo, as pessoas que receberam duas doses da vacina experimental da Pfizer-BioNTech tinham 13 vezes mais probabilidade de ter uma infecção da variante Delta, e 27 vezes mais probabilidade de apresentar sintomas, do que aqueles que haviam sido previamente infectados com Covid-19 entre janeiro e fevereiro de 2021.

Em comparação com as pessoas que contraíram Covid-19 entre março de 2020 e fevereiro de 2021, aqueles que receberam o produto experimental da Pfizer-BioNTech tiveram um risco seis vezes maior de infecção espontânea e um risco sete vezes maior de doença sintomática.

Ainda segundo o estudo, indivíduos vacinados também apresentam um risco maior de hospitalizações relacionadas à Covid-19 em comparação com aqueles que foram previamente infectados. Os vacinados ainda apresentam um risco 5.96 vezes maior de infecção invasiva, além de exibir um risco 7.13 vezes maior de doença sintomática em comparação com aqueles previamente infectados, explicaram os pesquisadores.

O estudo se concentrou principalmente na variante Delta, que se espalhou em muitos países, inclusive Israel. Como a variante Delta foi mais prevalente durante o estudo, os resultados não podem avaliar como a imunidade natural protege contra outras variantes do SARS-CoV-2.

Em julho deste ano, um outro estudo divulgado pelo Ministério da Saúde de Israel mostrou uma imunidade natural em relação coronavírus sete vezes maior do que aquela supostamente proporcionada pelas vacinas experimentais.

O Crítica Nacional publicou reportagem sobre este estudo anterior no artigo Covid-19: Dados do Ministério da Saúde de Israel Mostram Imunidade Natural Quase Sete Vezes Maior Do Que Imunidade Vacinal publicado em 20 de julho deste ano. Fontes: News.Com.Au | News Medical Life Sciences | Science.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE