por angelica ca e paulo eneas
O governador da Flórida, Ron DeSantis, alertou nesta segunda-feira (13/09) que qualquer cidade ou condado de seu estado que obrigar os funcionários a se vacinarem será multado em US$ 5.000. O governador fez a afirmação em uma entrevista coletiva, onde enfatizou que qualquer governo local que imponha exigências de vacinas como condição de emprego, pode enfrentar milhões de dólares em multas.

Ron DeSantis disse ainda que a obrigatoriedade de vacinação imposta por agências governamentais violam a lei estadual da Flórida, que proíbe empresas privadas de exigirem comprovantes de vacinas de seus clientes.

“Se uma agência governamental no estado da Flórida obriga você a se vacinar como condição de emprego, isso viola a lei da Flórida, e isso implicará em uma multa de US$ 5.000 para cada violação”, disse DeSantis em entrevista coletiva no condado de Alachua nesta segunda-feira (13/09). “Isso representa milhões e milhões de dólares em multas”.

Ron DeSantis afirmou que a vacinação é uma “decisão pessoal sobre a saúde individual” que deve ser tomada pelos próprios funcionários. “Você não pode simplesmente deixar de lado as pessoas que têm servido fielmente por causa dessa questão, que é basicamente uma escolha pessoal de sua saúde individual”, disse DeSantis. “Não podemos permitir que essas pessoas sejam deixadas de lado. Não podemos permitir que seus empregos sejam destruídos”.

O governador deixou claro que se opõe à obrigatoriedade da vacinação contra o coronavírus, bem como a obrigatoriedade do uso de máscaras. No início deste ano, Ron DeSantis assinou lei estadual, o Senate Bill 200, impedindo as empresas de exigir que os clientes apresentem comprovante de vacinação contra o coronavírus.

Em julho deste ano o governador também assinou uma ordem executiva proibindo os distritos escolares de exigir que os alunos usem máscaras em salas de aulas. A ordem executiva foi objeto de várias contestações na justiça. Fonte: Bles Mundo | National Review | Epoch Times | Fox13 News.


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE