O governador do Texas, Greg Abbott, sancionou na semana passada uma nova lei que limita ainda mais o acesso ao aborto naquele estado norte-americano. A nova lei aprovada e sancionada proíbe os médicos de fornecer medicamentos para indução do aborto em mulheres com sete ou mais semanas de gravidez.

Além disso, a lei proíbe que qualquer pessoa, exceto médicos, forneça drogas indutoras de aborto a grávidas. A nova legislação aumenta as penalidades criminais para o uso de medicamentos que induzem o aborto, com multas de até US$ 10.000 e pena de prisão que varia entre seis meses e dois anos.

A restrições ao assassinato de fetos já haviam sido endurecida com lei anterior sancionada em meados de setembro, denominada “lei do batimento cardíaco”, que proíbe o assassinato de fetos quando o batimento cardíaco fetal for detectável, o que normalmente ocorre com aproximadamente  seis semanas de gravidez. Fonte: Epoch Times | Forbes


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE