A Justiça da Espanha tomou uma decisão histórica na semana passada ao aceitar uma medida cautelar solicitada pela Associação dos Advogados Cristãos, ligada ao partido de direita Vox, que havia pedido a retirada de livros com conteúdo identitário e de orientação sexual das bibliotecas dos institutos e centros educacionais para crianças.

O Tribunal Contencioso Administrativo nº 1 de Castellón concordou com a retirada cautelar de 32 exemplares de livros de ideologia identitária sexual doados pela Câmara Municipal da cidade a onze institutos públicos da cidade e ao Centro de Menores Pi Gros, voltado ao público infantil.

Em seu pedido, a Associação dos Advogados Cristãos considerou que a iniciativa municipal viola vários direitos fundamentais, como o dos pais de decidirem a educação dos filhos, a liberdade ideológica e religiosa e a obrigação da administração de ser objetiva e neutra.

Os livros divididos por faixas etárias entre os 12 e os 17 anos, foram distribuídos pela Secretaria de Cultura, Feminismo e LGBTI da Câmara Municipal de Castellón sob o pretexto de promover a convivência na igualdade, a tolerância e o respeito pela diversidade. Fonte:  Derecha Diario | El Mundo | El País.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE