A ONG globalista Anistia Internacional anunciou que fechará seus escritórios em Hong Kong até o final do ano, por medo de “sérias represálias” derivadas da lei de segurança nacional que vigora província, e que foi imposta por Pequim.

A decisão, anunciada nestaa segunda-feira (25/10), deixará a cidade sem a presença da organização de direitos humanos pela primeira vez em 40 anos. O escritório local será fechado em 31 de outubro, e o escritório regional será removido no final do ano.

A ONG argumentou que considera impossível trabalhar livremente e sem medo de represálias: “o ambiente de repressão e incerteza perpétua criado pela lei de segurança nacional torna impossível saber quais atividades podem levar a sanções criminais”, disse seu gerente.

A China impôs uma ampla Lei de Segurança Nacional em Hong Kong em 2020, após meses de massivos protestos antigovernamentais. A lei proíbe a secessão, a subversão do poder estatal, e o conluio estrangeiro para intervir nos assuntos da cidade. Mais de 120 pessoas, muitas delas partidários do movimento pela democracia na cidade, foram presas sob a lei. Fonte: The Guardian | La Gaceta | ABC News.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE