O governo do estado australiano de Queensland está ameaçando tomar medidas tirânicas contra aqueles que não pagaram as multas por violar as medidas draconianas impostas durante a pandemia do coronavírus. Entre estas medidas estão a penhora de salários, a perda de suas contas bancárias, bens imóveis e carteiras de motorista.

Conforme relata o jornal Brisbane Times, o estado de Queensland, cuja capital é Brisbane, já multou quase três mil pessoas e empresas por suposta violação das regras colocadas em prática em razão da Covid-19. Cerca de metade das multas foram totalmente pagas ou estão sujeitas a plano de pagamento. O valor total da multas soma espantosos US$ 5.2 milhões.

Os australianos podem ser multados por estarem muito longe de casa, passar mais de uma hora fora de sua residência ou serem pegos sem máscara mesmo que sozinhos. A polícia distribui multas nas ruas e em postos de controle aleatórios que foram montados nas estradas. Fonte: Epoch Times | The Expose.

Leia também:
Relato de um Historiador do Futuro: A Morte Social dos Não Vacinados


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE