O primeiro-ministro da Polônia, Mateusz Morawiecki, criticou a chanceler alemã Angela Merkel por suas duas conversas telefônicas em meados de novembro com o líder bielorrusso Alexander Lukashenko em meio a uma crescente crise de imigração na fronteira leste europeia. Varsóvia acusa Minsk de engendrar a crise imigratória em suas fronteiras com a Polônia, Lituânia e Letônia como sendo uma tática de “guerra híbrida” destinada a desestabilizar a União Europeia.

Em declarações à agência de notícias alemã DPA no último sábado (27/11), Mateusz Morawiecki disse saudar o fato de a União Europeia estar envolvida na procura de uma solução diplomática para a crise, mas advertiu que as conversações diretas de Merkel com Lukashenko legitimam o regime bielorrusso.

Na entrevista, Mateusz Morawiecki acusou Lukashenko de usar as ligações feitas pela chanceler alemã para seus próprios fins em uma suposta tentativa de buscar uma solução para a crise. Angela Merkel foi criticada por suas conversas com Lukashenko tanto em seu país quanto no exterior. Fonte: La Gaceta | Daily Sabah.


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE