Estudo publicado no New England Journal of Medicine que concluiu pela eficácia e segurança das vacinas da Pfizer contra o coronavírus para crianças de cinco a onze anos foi foi patrocinado pela própria Pfizer.


por paulo eneas
A Anvisa, Agência de Vigilância Sanitária, aprovou na manhã desta quinta-feira (16/12) o uso da vacina da Pfizer contra o coronavírus em crianças de cinco a onze anos de idade. O anúncio oficial foi feito ao final de evento público conduzido pela agência, durante o qual foram comunicadas as instruções e informações sobre fornecidas pela própria Pfizer.

O gerente de medicamentos da Anvisa relatou que “o número de casos de Covid-19 tem sido representativo na população pediátrica” e recomendou a aprovação da vacina para este segmento da população.

No decorrer do evento público, o presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações enfatizou, em entrevista à CNN Brasil, o que ele entende ser uma alta incidência de Covid-19 em crianças, para justificar a vacinação nessa faixa etária.

Além do corpo técnico da Anvisa, a decisão contou com a participação de representantes de sociedades médicas brasileiras, entre elas a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Fisiologia, a Sociedade Brasileira de Infectologia e a Sociedade Brasileira de Imunizações.

Segundo informação da Revista Oeste, o contrato do Governo Federal com a Pfizer estabelece a entrega no ano que vem de 100 milhões de doses da vacina fabricada pela companhia farmacêutica, e prevê a possibilidade de entrega de versões modificadas do produto, o que incluirá as vacinas específicas para crianças.

Com a autorização dada pela Anvisa, que levou apenas 35 dias para dar seu parecer, e com o início da distribuição desta vacinas para esta faixa etária previsto para o ano que vem, é bastante provável que a vacinação de crianças de cinco a onze anos venha a tornar-se obrigatória, com base no que prevê a Lei 13979.

Esta obrigatoriedade possivelmente será implementada por meio da exigência de vacinação da criança para que ela possa frequentar a escola, o que resultará na implementação na prática de um passaporte sanitário escolar.

Um estudo publicado em 9 de novembro deste ano pelo New England Journal of Medicine, que pode ser acessado neste link aqui, concluiu pela eficácia e segurança das vacinas da Pfizer-BioNTech contra o coronavírus para crianças de cinco a onze anos. Ocorre que este estudo foi patrocinado pela própria Pfizer-BioNTech, que tem interesse nas conclusões a que o estudo chegou.


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE