por paulo eneas
A Câmara dos Deputado derrubou em sessão plenária desta sexta-feira (17/12) o veto do Presidente Bolsonaro ao item da Lei de Diretrizes Orçamentárias aprovada em junho que previa o aumento da verba pública do Fundo Eleitoral para R$5.7 bilhões no ano que vem. O veto presidencial foi derrubado por 317 votos contrários ao veto por 146 votos favoráveis à sua manutenção.

Os três principais partidos do Centrão – Partido Liberal, ao qual o presidente é filiado, Partido Republicanos e Partido Progressistas – foram decisivos para o resultado da votação. Se estes partidos, que constituem a base do governo e ocupam cargos-chave e ministérios importantes na administração federal, tivessem votado a favor do Presidente da República, o veto teria sido mantido, como mostramos em detalhes abaixo:

Partido Liberal (PL):
39 votos pela derrubada do veto e zero votos pela manutenção

Republicanos (PR):
23 votos pela derrubada do veto e 6 votos pela manutenção

Progressistas (PP):
37 votos pela derrubada do veto e 3 votos pela manutenção

Portanto, estes três partidos do Centrão contribuíram com um total de 99 votos contrários ao veto presidencial. Se estes partidos tivessem votado a favor do presidente, o resultado final da votação no plenário da Câmara dos Deputado seria o seguinte (considerando que os demais partidos mantivessem inalterados seus votos):

Total de votos a favor do veto: 146 + 99 = 245 votos a favor do veto

Total de votos contrários ao veto: 317 – 99 = 218 pela derrubada do veto

Portanto, o placar final seria 245 x 218 pela manutenção do veto presidencial, que assim não teria sido derrubado.

Os números mostram mais uma vez que o Centrão é decisivo nas votações da Câmara dos Deputados. Mostram também a disposição da bancada do Centrão em aprovar ou reprovar propostas que interessam unicamente a este bloco político fisiológico, não havendo qualquer compromisso programático com as pautas mais importantes defendidas pelo presidente.

A bancada do PTB dividiu-se ao meio: foram cinco votos a favor do veto e cinco votos contrários. Ainda que todos os parlamentares desta bancada bancada votassem pela manutenção do veto, isto não iria alterar o resultado final.

Mas pode-se observar que, apesar de não fazer parte da base governista e não ocupar cargos na administração federal, a bancada do PTB foi proporcionalmente mais fiel ao presidente do que as bancadas de sua base do Centrão.

Após a derrubada do veto na Câmara dos Deputados, a matéria seguiu para o Senado Federal ainda na tarde desta sexta-feira, onde a derrubada do veto foi confirmada por 53 x 21 votos dos senadores. A lista completa de como votou cada deputado por Estado por ser vista neste link aqui.


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE