por angelica ca e paulo eneas
A Justiça de São Paulo deverá conceder neste final de ano a liberdade temporária, as chamadas “saidinhas” de Natal e Ano Novo, para aproximadamente 37 mil presos do sistema prisional que cumprem regime semiaberto. Esses número histórico corresponde a 17.7% da população carcerária do Estado, que até junho de 2021 era de 207.986 pessoas.

Caso se confirme a projeção, será a maior quantidade de saídas temporárias da série história do sistema penitenciário paulista. O maior contingente de presos colocados nas ruas nas saidinhas ocorreu no ano de 2018, quando 34.041 condenados beneficiaram-se da medida.

O benefício da liberdade temporária de fim de ano é previsto Lei de Execução Penal. A saída temporária é autorizada pela Justiça somente para presos do regime semiaberto com suposto bom comportamento e que já tenham cumprido um sexto da pena, no caso dos primários, e um quarto da pena, no caso dos reincidentes.

O detento beneficiário precisa, ainda, demonstrar que tem condições financeiras para sair e voltar, como comprar passagens de ônibus de ida e volta. De acordo com portaria do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, que disciplina esse benefício, os presos e presas devem deixar as prisões na manhã do próximo dia 23 de dezembro e retornar ao presídio até 3 de janeiro.

A cada ano há notícias de detentos beneficiados com a saída temporária que não retornam ao sistema prisional e que cometem crimes enquanto estão nas ruas. Uma das promessas do então candidato Jair Bolsonaro na campanha de 2018 era o endurecimento das leis penais, o que incluiria a revisão da Lei de Execução Penal no que diz respeito às chamadas saidinhas e à progressão de pena. Nada foi feito nesse sentido. Fonte: Gazeta do Povo | O Tempo.


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE