por angelica ca e paulo eneas
Um número muito maior de seres humanos foram mortos por assassinato no ventre materno do que por qualquer outra causa de morte no ano de 2021. Pelo segundo ano consecutivo, o assassinato deliberado de bebês (aborto) foi a principal causa de morte em todo o mundo: um número três vezes mais bebês foram mortos devido ao aborto do que a segunda principal causa de morte.

Estatísticas compiladas pelo website Worldometer, um banco de dados que acompanha  estatísticas sobre saúde, população mundial e outras métricas em tempo real, indicam que mais de 42.6 milhões de bebês foram assassinados por aborto em todo o mundo no ano passado. O website Worldometer faz a coleta dados de governos e outras organizações ​​e em seguida relata os dados, juntamente com estimativas e projeções, com base nesses números.

Ao comparar os números de bebês assassinados por aborto com as mortes devido a outras causas, incluindo câncer, AIDS, acidentes de trânsito e suicídio, os abortos superaram em muito todas estas outras causas. O site mostra também que 8.7 milhões de pessoas morreram de câncer em 2021, e que outras 5.0 milhões de pessoas perderam a vida por tabagismo. Um total de 13.0 milhões morreram por outras doenças e 1.7 milhões morreram devido a AIDS.

As estatísticas mostram também que 58.7 milhões de pessoas morreram no ano passado devido a outras causas que não o aborto, isso significa que o assassinato de bebês no ventre materno respondeu por  42% de todas as mortes no mundo no ano de 2021.

Quando comparado com mortes por Covid-19, o número de pessoas que morrem de abortos supera o número de mortes pelo vírus. A Worldometers indica que aproximadamente 3.5 milhões de pessoas morreram devido ao coronavírus em todo o mundo em 2021, o que contrasta com o total de 42.6 milhões de bebê assassinados no ventre materno no mesmo ano.

No que diz respeito à Covid-19, existe uma dúvida considerável sobre se os números são precisos, uma vez que o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos indica que uma porcentagem considerável de mortes por covid não decorreram diretamente do próprio coronavírus, mas são de pessoas que tinham o vírus no momento em que morreram de alguma outra causa. Fonte: Life Site News | The Christian Post | Gospel Prime.


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE