A Lei Federal 13979 criou todas as condições para a imposição da vacinação obrigatória, tornando o passaporte sanitário uma realidade já presente na vida dos brasileiros, independentemente de qualquer outra lei específica que viesse a criá-lo. O efeito destas medidas tem sido o de promover a morte social dos cidadãos que escolhem não se submeter às vacinas experimentais.


por angelica ca e paulo eneas
Bares e restaurantes na cidade de São Paulo (SP) começaram a exigir comprovante de vacinação de seus clientes. A prefeitura da cidade ampliou exigência fixada em decreto de setembro do ano passado, baseado na Lei 13979, que exigia o comprovante de vacinação para eventos com mais de 500 pessoas. Agora esta exigência se estende a eventos com qualquer público.

O passaporte da vacina é exigido obrigatoriamente pela prefeitura da capital paulista em eventos de qualquer tamanho e aplica-se a festas, bailes e outros eventos semelhantes em clubes e casas noturnas, independentemente da lotação. O passaporte vacinal também é obrigatório em shows, feiras, congressos, jogos e outras atividades da área de eventos.

Além de bares e restaurantes, o Detran de São Paulo anunciou que também exigirá o comprovante para exames práticos de direção. A medica começa a valer no dia 20 de janeiro e tanto examinadores quanto candidatos deverão apresentar o documento no momento da assinatura de presença.

Nas redes sociais, restaurantes e cafés da cidade também avisam que só aceitam clientes vacinados. No início de janeiro, a Unesp (Universidade Estadual Paulista), também publicou portaria, obrigando que toda a  comunidade acadêmica – professores, funcionários técnicos e estudantes – apresentem comprovante de vacinação contra a Covid-19 para poder participar de atividades presenciais nos seus campi.

Os alunos novos dos cursos de graduação e pós-graduação podem ter até sua matrícula cancelada e perder a vaga caso não apresentem ou justifiquem a ausência de vacinação. A Unesp segue medidas que já foram tomadas por outras universidades estaduais públicas. A USP publicou um decreto semelhante em 24 de dezembro de 2021, enquanto que a Unicamp também adotou medida semelhante em 07 de dezembro.

Dentre os mecanismos de controle usados para comprovação de vacinação, está o aplicativo Conecte Sus, do Ministério da Saúde do Governo Federal.

Conforme estamos afirmando há meses no Crítica Nacional, a Lei Federal 13979 criou todas as condições para a imposição da vacinação obrigatória, tornando o passaporte sanitário uma realidade já presente na vida dos brasileiros, independentemente de qualquer outra lei específica que viesse a cria-lo. O efeito destas medidas é promover a morte social dos cidadãos que escolhem não se submeter às vacinas experimentais. Fonte: Portal R7 | Portal G1 | Agência Brasil.


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE