por paulo eneas
Ana Lúcia Jefferson, esposa do ex-deputado Roberto Jefferson, publicou um vídeo em suas redes sociais nesta segunda-feira (17/Jan) fazendo um apelo para a transferência urgente do ex-parlamentar para um hospital. Roberto Jefferson está preso preventivamente desde o dia 13 de agosto de 2021 na Penitenciária de Bangu, no Rio de Janeiro, por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes.

Sua prisão foi determinada pelo magistrado a pedido da Polícia Federal no âmbito de um inquérito que apura a existência de uma suposta milícia digital que atuaria nas redes sociais. O inquérito foi instalado no próprio Supremo Tribunal Federal.

No vídeo divulgado, a esposa de Roberto Jefferson informa que o quadro de saúde do ex-deputado piorou e ele corre risco por conta das condições de saúde. Ela pede para que seu marido seja transferido para um hospital com urgência:

“Eu venho aqui fazer um pedido às autoridades. A quem puder ajudar, ao presidente Bolsonaro. O Roberto precisa ser transferido para um hospital. Acabei de receber a ligação da médica, que o laboratório ligou pra ela, que o d-dímero dele está altíssimo e o Roberto tem comorbidades, não tem como ficar naquele presídio. Ele precisa ser transferido para um hospital com urgência. Ele tá correndo risco de vida. Gente, quem puder, me ajuda. Que as autoridades olhem por ele, por favor.”

A defesa do ex-deputado pediu na semana passada sua transferência para o Hospital Samaritano Barra, no centro do Rio de Janeiro. Em resposta, o ministro Alexandre de Moraes solicitou ao diretor da unidade penitenciária uma resposta sobre a condição da instituição de atender o ex-deputado.

O jornalista José Roberto Guzzo, um dos nomes mais respeitados do jornalismo brasileiro, publicou artigo em sua coluna no jornal O Estado de São Paulo no dia 3 de janeiro comentando a prisão de Roberto Jefferson. Intitulado “A pior vergonha”, José Roberto Guzzo afirma no seu artigo que:

“O Brasil encerrou o ano de 2021 com uma vergonha estampada no meio da testa: pela primeira vez, desde o regime militar, e num caso único em qualquer nação democrática do mundo, há um preso político trancado numa cela de presídio neste país. Em nome das “instituições democráticas”, e agindo como um porão de polícia secreta, o Supremo Tribunal Federal mantém preso há mais de quatro meses, sem direito de defesa e sem processo legal, um cidadão que não cometeu nenhum crime para o qual a lei brasileira prevê prisão. Está cumprindo pena sem ter sido processado, julgado e muito menos condenado”.

José Roberto Guzzo prossegue no artigo fazendo as seguintes afirmações:

“O ex-deputado Roberto Jefferson está preso na penitenciária de Bangu porque dirigiu ofensas aos ministros do STF. Insulto não é nenhum crime que permita a autoridade pública jogar um cidadão na cadeia. No máximo, é delito de injúria, no qual o autor é processado em liberdade. (…) Mas Jefferson não está respondendo a nenhum processo legal na Justiça (…) e vai ficar na prisão por quanto tempo o ministro quiser, sem que seus advogados possam recorrer a nada ou a ninguém. Isso se chama prisão política. Só acontece em ditadura.”

“(…) Por acaso ele [Roberto Jefferson] está comandando algum grupo terrorista? Está armazenando armas para dar um golpe de Estado, ou treinando combatentes para atos de violência? É claro que não, mas e daí?”

“(…) A mídia, as classes intelectuais, os defensores dos direitos humanos e o restante do “Brasil democrático” não dizem uma sílaba sobre nada disso. Como Jefferson é um homem de direita, acham que ele não tem direito à proteção da lei. Talvez esteja aí, no fundo, a pior vergonha.”

A íntegra do artigo do jornalista José Roberto Guzzo por ser lida no site do jornal O Estado de São Paulo, por meio deste link aqui. Colaboração Angelica Ca. Fonte: Gazeta do Povo | Poder 360.



CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE