por angelica ca e paulo eneas
O novo premier da República Tcheca, Petr Fiala, do partido ODS (Partido Cívico Democrata), revogou nesta quarta-feira (19/01) o decreto do governo anterior que tornava obrigatória a vacinação contra covid-19 para algumas profissões consideradas essenciais e para pessoas com mais de 60 anos.

“A vacinação contra covid na República Tcheca não será obrigatória”, disse o primeiro-ministro Petr Fiala após reunião do gabinete. Ele acrescentou que seu gabinete considera a vacinação o principal meio de combate à pandemia de coronavírus, mas seu governo “não quer dividir a sociedade”, impondo sua obrigatoriedade.

O governo anterior, liderado pelo primeiro-ministro Andrej Babis, havia publicado um decreto no início de dezembro tornando a vacinação obrigatória para pessoas com 60 anos ou mais, bem como para profissionais de saúde, policiais, bombeiros e militares.

O decreto estava previsto para entrar em vigor a partir de março deste ano, e provocou fortes protestos. Manifestantes contrários a obrigatoriedade de vacinação realizaram vários protestos em Praga e em outras partes do país.

Mas o partido de centro do primeiro-ministro Andrej Babis, perdeu as eleições parlamentares da República Checa em outubro do ano passado. A administração de Babis foi substituída no final de dezembro por um novo governo formado por cinco partidos e liderado pelo novo primeiro-ministro Petr Fiala.

No entanto, as ações do novo governo da República Tcheca não significam que as restrições acabaram. Uma emenda às medidas relativas ao coronavírus adotadas pelo governo anterior estendeu o período de vigência da legislação até agosto de 2023. Essas alterações permitirão que o governo decrete medidas de quarentena e isolamento ou limite a quantidade de pessoas em casas noturnas.

Além disso, o ministro da Saúde, Vlastimil Válek, anunciou que pode haver mais medidas contra o coronavírus, como a autorização para doses de reforço para crianças com mais de doze anos. Fonte: Agência Reuters | The Independent | Becker News.


Não Deixe o Crítica Nacional Acabar!

Crítica Nacional precisa e muito do apoio de seus leitores para continuar. Dependemos unicamente do financiamento do nosso público leitor, por meio de doações e assinaturas de apoio, para tocar adiante nosso projeto.

Crítica Nacional é hoje um dos poucos veículos da chamada imprensa independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade dos fatos e a defesa de valores conservadores. Dentre os demais, muitos renderam-se ao chapa-branquismo desbravado, lançando mão até mesmo da divulgação de conteúdos falsos ou enganosos para esse intento. Esse tipo de conduta você jamais irá ver no Crítica Nacional.

Estamos nesse momento apelando encarecidamente ao nosso público para que contribua conosco. Você poderá fazer esta contribuição por meio de nosso PIX: 02259742823 ou acessando este link aqui, onde terá a opção de fazer uma assinatura de apoio a um valor mensal irrisório e bastante acessível, e poderá também fazer uma doação no valor que desejar.

Muito obrigado.


 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE