Premier reconhece que medidas de restrição agridem direitos e a liberdade e que a vacinação em massa não reduziu a transmissão do coronavírus.


por angelica ca e paulo eneas
O primeiro-ministro da província canadense de Saskatchewan, Scott Moe, anunciou esta semana que a província irá encerrar até o final de fevereiro todas as restrições impostas à população a pretexto da pandemia do coronavírus, incluindo a exigência de comprovantes de vacinação.

“A Covid não está terminando, mas as restrições do governo aos seus direitos e liberdades estão sendo encerradas”, afirmou o premier Scott Moe em um vídeo postado nas mídias sociais, admitindo abertamente que as medidas restritivas adotadas agridem direitos e liberdade, e não resultaram no fim da pandemia.

Scott Moe afirmou também que a vacinação não reduziu a transmissão do vírus, e que é chegado o momento de suspender as restrições porque as pessoas vacinadas estão sendo infectadas em uma taxa semelhante às não vacinadas.

O premier de Saskatchewan afirmou ainda que embora a pandemia do coronavírus não tenha terminado, as pessoas a “compreendem” melhor. Elas entendem o risco e estão preparados para viver com esse risco mais do que estão preparados para viver com a intromissão do governo em suas vidas, completou.

Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 02259742823 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

O anúncio da suspensão das restrições em Saskatchewan ocorre após uma mudança significativa na opinião pública canadense sobre as restrições de liberdade e de direitos impostas à população a pretexto da pandemia.

Em suas redes sociais, o primeiro-ministro fez referência a uma recente pesquisa da Angus Reid que perguntou aos cidadãos de cada província se eles concordavam com a seguinte declaração: “é hora de acabar com as restrições e deixar as pessoas se auto isolarem se estiverem em risco”.

De acordo com os resultados, 54% dos residentes de Saskatchewan, concordaram que era hora de acabar com as restrições. Em um comunicado no último sábado (29/Jan), Scott Moe manifestou apoio ao comboio de caminhões de todo o Canadá que chegou semana passada em Ottawa para exigir o fim da obrigatoriedade das vacinas.

Desde outubro de 2021, os habitantes de Saskatchewan são obrigados a apresentar comprovante de vacinação com duas doses ou apresentar um teste negativo de Covid-19 para entrar em bares, restaurantes, teatros e outros estabelecimentos públicos. Fonte: SASK Today | DH NewsTNC News.

Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 02259742823 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE