por angelica ca e paulo eneas
Um menino de três anos de idade da Ilha de Chipre, que precisava de uma cirurgia urgente de transplante de coração, teve seu tratamento negado em hospitais na Alemanha, Reino Unido e Israel, porque seus pais não estavam vacinados contra Covid-19. A criança, cuja identidade não foi revelada, foi finalmente levada para a Grécia, onde aguarda cirurgia, segundo informa a edição europeia do website Politico.

A criança havia sido hospitalizada pela primeira vez na semana passada com um problema cardíaco grave em Chipre. Como a cirurgia não poderia ser realizada em hospitais cipriotas, o Ministério da Saúde do país decidiu abordar a Alemanha. A criança foi então levada de ambulância aérea para a cidade de Frankfurt na semana passada.

Antes da transferência, no entanto, o hospital de Frankfurt informou às autoridades cipriotas que a cirurgia não poderia ser realizada na Alemanha por que os pais da criança não estavam vacinados contra Covid-19.

Embora Chipre tenha sugerido que a criança poderia ser acompanhada por um responsável legal, o hospital não concordou. O hospital supostamente manteve sua política de que todas as crianças submetidas a tais procedimentos devem ser acompanhadas por seus responsáveis.

Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 02259742823 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

As autoridades cipriotas abordaram então hospitais no Reino Unido e em Israel, mas foram recusados ​​pelo mesmo motivo. Embora seus pais concordassem em se vacinar, seriam necessárias seis semanas antes que eles pudessem ser considerados totalmente vacinados, a despeito da necessidade urgente da cirurgia.

O pai do menino, Alexey Matveev, disse ao site Politico que não sabia que tinha que ser vacinado para que seu  filho fosse operado. “Se eu soubesse é claro que teria feito… estou saudável e não queria ser vacinado e considero inadequado que alguém saudável seja vacinado”, acrescentou.

As autoridades cipriotas disseram que informaram os pais com antecedência sobre a necessidade da vacinação. As autoridades sugeriram que os pais tomassem a vacina de dose única da Jansen para acelerar o processo, mas eles recusaram.

Felizmente, a Grécia concordou em acolher a criança, que foi levada de avião para Atenas no último sábado à tarde. O menino foi internado na clínica pediátrica do Hospital Mitera sob o comando do Dr. Giorgos Sarris, segundo informa o Greek Reporter.

Ao final, os pais se renderam ante a ditadura sanitária: o hospital informou mais tarde que ambos os pais receberam a primeira dose de uma vacina de duas doses. Fonte: Greek Reporter | Politico | International Business Times.

Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 02259742823 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE