O ditador venezuelano Nicolás Maduro, principal aliado de Vladimir Putin na América Latina, confirmou nesta terça-feira (08/02) que reuniu-se no fim de semana em Caracas com enviados da Casa Branca e grandes empresários do setor de petróleo dos Estados Unidos para tratar do possível fim do embargo americano ao petróleo venezuelano.

Usando de uma retórica própria dos globalistas ocidentais, Maduro afirmou estar disposto a trabalhar uma “agenda em prol da segurança energética global”. Ou seja, ele confirmou estar disposto a suprir a demanda aumentada por petróleo em decorrência das sanções impostas às Rússia.

Nicolás Maduro e Jose Biden teriam conversado por telefone duas vezes em fevereiro, segundo a imprensa norte-americana.  Além do fim do embargo ao petróleo venezuelano, foi negociado o possível retorno da petroleira Citgo Petroleum ao controle da PDVSA, a estatal petrolífera venezuelana.

Por sua vez, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, também confirmou o encontro da delegação norte-americana com Nicolás Maduro em Caracas para tratar de “segurança energética”, ou seja, fornecimento de petróleo e gás venezuelanos aos Estados Unidos. Fonte: The Independent | CBS News | Zero Hedge.

Leia também:
Joe Biden Poderá Levantar Sanções Contra Ditadura de Nicolás Maduro na Venezuela em Troca de Petróleo

Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 02259742823 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE