por angelica ca e paulo eneas
O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), prorrogou nesta segunda-feira (02/05) por mais 60 dias o inquérito instaurado para apurar se o deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) teria cometido crime por uso supostamente irregular da tornozeleira eletrônica que lhe foi imposta por decisão judicial.

O pedido de prorrogação do inquérito foi feito pela Polícia Federal. De acordo com o magistrado, um relatório da Polícia Federal teria demonstrado que houve ocorrências não justificadas, no entender o relatório, por ausência de carga da bateria, além de duas supostas violações por área de inclusão.

Ainda conforme decisão do magistrado, a prorrogação seria necessária para que a Polícia Federal conclua diligências relativas à apuração da localização de acesso ao sistema remoto da Câmara dos Deputados, a partir dos registros de IPs utilizados por Daniel Silveira.

“Considerando a necessidade de prosseguimento das investigações, notadamente no que diz respeito à obtenção dos dados cadastrais dos usuários dos IPs apurados, para que seja possível a apresentação dos locais físicos de onde foram feitos acessos ao sistema da Câmara dos Deputados, nos termos solicitados pela Polícia Federal, prorrogo por mais 60 dias o presente inquérito”, escreveu o ministro em sua decisão.

Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE