por angelica ca e paulo eneas
A Alta Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, a socialistas Michelle Bachelet (ex-presidente chilena) expressou “sua admiração pelos esforços da China” para “proteger os direitos humanos”. A afirmação da socialista chilena que chefia o órgão máximo de direitos humanos das Nações Unidas foi feita durante conversa com o ditador chinês Xi Jinping nesta quarta-feira (25/05).

Michelle Bachelet, que está em visita à China, elogiou também a suposta defesa do multilateralismo por parte do regime de ditadura comunista chinesa. O conteúdo da conversa veio a público a partir das declarações do Ministério das Relações Exteriores da China. O comunicado do Ministério das Relações da China afirma:

“A Sra. Bachelet expressou sua gratidão à China por receber sua visita, apesar do desafio [do coronavírus chinês], na primeira visita à China do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos em 17 anos”.

O comunicado prossegue afirmando que Bachelet “expressou sua admiração pelos esforços e conquistas da China na eliminação da pobreza, proteção dos direitos humanos e desenvolvimento econômico e social, e elogiou o importante papel da China na defesa do multilateralismo, enfrentando desafios globais como as mudanças climáticas e a promoção do desenvolvimento sustentável em todo o mundo”.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

O ditador Xi Jinping ainda afirmou em sua conversa com Bachelet que o desenvolvimento dos direitos humanos na China “se adequa às suas próprias condições nacionais”. Logo após a divulgação do conteúdo da conversa, a Organização das Nações Unidas divulgou um suposto “esclarecimento” sobre as declarações de sua chefe de direitos humanos.

A socialista Michelle Bachelet está em uma visita de seis dias à China, onde visitará a região de Xinjiang, no extremo oeste do país, onde o governo chinês é acusado de deter mais de um milhão de uigures, de promover internamento em massa, trabalho forçado e esterilização forçada contra uigures e outros principalmente minorias muçulmanas.

Há mais de um ano o Crítica Nacional noticia as agressões violentas aos direitos humanos perpetradas pelo regime de ditadura do Partido Comunista Chinês. Estas agressões incluem confinamento e trabalho forçado, campos de concentração e abortos forçados em estágio de gravidez avançada de minorias étnicas, e perseguições aos cristãos como pode ser visto nos links abaixo. Fonte: Breitbart | Agência Reuters | Bloomberg.

Leia também:
1) 
Ditadura Comunista Chinesa Acusada de Promover Genocídio de Povos Uigures

2) China Obriga Minorias Étnicas a Abortar Em Estágio Avançado de Gestação

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos encarecidamente ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE