por paulo eneas
Mais de cinquenta cristãos foram assassinados no interior da Igreja de São Francisco, na cidade de Owo, Nigéria, durante a Missa de Pentecostes neste domingo (05/06). O crime foi praticado por um atirador que entrou na Igreja durante a celebração da Missa e passou a atirar indiscriminadamente nos fiéis, segundo informam testemunhas do local.

O crime insere-se numa onda de perseguição violenta aos cristãos da Nigéria que já vem ocorrendo naquele país há alguns anos. Segundo testemunhas locais, entre os mortos estão crianças e mulheres.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos com ênfase ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

Quase todos estes crimes contra os cristãos são promovidos pelo grupo terrorista muçulmano Boko Haram e incluem, além dos ataques diretos a Igrejas, sequestros e raptos, especialmente de meninas nigerianas cristãs para fins de escravização sexual por parte dos integrantes deste grupo terrorista muçulmano, que possui ligações com o Estado Islâmico.

O ataque deste domingo à Igreja de São Francisco em Owo resultou na morte de ao menos cinquenta católicos, que foram assassinado durante a Missa. Informações ainda não confirmadas dão conta do possível sequestro do padre que celebrava a Missa. Autoridades nigerianas não informaram ainda sobre as ligações do criminoso com o grupo terrorista Boko Haram.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos com ênfase ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

Relatos distintos também de testemunhas falam da atuação de mais de um atirador e de uma possível explosão no interior da Igreja antes dos disparos de tiros. A região sudoeste da Nigéria onde o crime ocorreu não tinha até agora experimentado este tipo de violência, que tem sido mais frequente em outras regiões do país.

O massacre de fiéis da Igreja de São Francisco de Owo ocorre uma semana após o sequestro de sacerdotes da Igreja Metodista da Nigéria ocorrido na região sudeste do país. A Igreja afirma ter pago cerca de duzentos e quarenta mil dólares aos sequestradores para libertas os clérigos cativos.

Há cerca de duas semanas, dois padres católicos foram sequestrados na localidade de Katsina, na região norte do país. Os padres prosseguem em cativeiro. Em março deste ano, um atirador interceptou um cruzamento de linha férrea na cidade de Kaduna, matando nove pessoas e sequestrando outras doze vítimas, que ainda prosseguem cativas. Fonte: Agência Reuters | BBC.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos com ênfase ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE