No mesmo dia em que a Petrobras anunciou o aumento dos preços dos combustíveis, a cotação das ações da companhia caíram mais de 4% na Bolsa de Valores de Nova York. A queda das ações da estatal foi acompanhada do aumento do dólar, e queda no índice da Bolsa de Valores de São Paulo.

A estatal anunciou aumento de 5.2% no preço da gasolina e de 14.2% no preço do óleo diesel. Líderes do Centrão, que é o bloco político que efetivamente comanda e controla o Governo Federal, tendo à frente Ciro Nogueira e Arthur Lira, soltaram bravatas contra a companhia ao longo do dia sinalizando disposição de quebra de contratos.

Ainda que estas oscilações tenham sido provocadas também pelo aumento dos juros nos Estados Unidos, os sinais que o governo, ou seja, os líderes do Centrão, têm emitido contribuíram para este comportamento.

O governo não conseguiu ao longo destes quase quatro anos equacionar o problema dos combustíveis no Brasil e tem reagido com bravatas e gambiarras que apenas acentuam o problema.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE