Representantes de sete partidos que fazem parte da coligação do pré-candidato à Presidência da República, o petista Luiz Inácio Lula da Silva, entraram com pedido no Tribunal Superior Eleitoral na última quarta-feira (13/07) solicitando a suspensão do decreto de armas durante o período eleitoral.

Os dirigentes foram recebidos pelo vice-presidente do TSE, o ministro Alexandre de Moraes, que está exercendo a presidência da Corte durante o recesso do Judiciário. O petistas pedem que a liberação do porte de armas seja suspensa durante a semana que antecede o dia da votação e também nos sete dias após o resultado.

O uso seria vedado a instrutores de tiro, colecionadores, caçadores, advogados e políticos eleitos para o Executivo e para o Legislativo, no período determinado. A coligação pede que o tribunal se manifeste sobre a proibição da “circulação de pessoas portando armas e a entrada nos locais de votação e sessões eleitorais”. Redação Angelica Ca. Fonte: Gazeta do Povo | Correio Braziliense | Poder 360.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE