por angelica ca e paulo eneas
O governo dos Estados Unidos está investigando a fabricante de equipamentos de telecomunicações Huawei por conta de suspeitas de que as torres de celular da empresa chinesa em operação em solo norte-americano possam estar capturando informações confidenciais de bases militares e silos de mísseis e transmitindo tais informações à China.

O governo dos Estados Unidos acredita que a empresa de tecnologia controlada pelo Partido Comunista Chinês possa estar de posse de dados sigilosos sobre exercícios militares norte-americanos. A investigação foi aberta pelo Departamento de Comércio do Governo dos Estados Unidos logo após a posse de Joe Biden, no início do ano passado.

Em abril de 2021 o Departamento de Comércio intimou a Huawei exigindo que a empresa chinesa informasse sua política de  compartilhamento de dados de telefonia celular capturados por seus equipamentos. Também foi exigido da empresa informações sobre política de compartilhamento de dados de geolocalização, segundo informou reportagem da Agência Reuters.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.

A Huawei por sua vez nega veementemente, como era de se esperar, as acusações do governo norte-americano a respeito das práticas de espionagem da companhia chinesa. Além de ser alvo de investigação nos Estados Unidos, a Huawei vem sendo banida em diversos países ocidentais, como mostramos em reportagens do Crítica Nacional nos últimos meses.

A despeito desses alertas internacionais, a Huawei ingressou sem qualquer dificuldade no mercado de telecomunicações do Brasil. O Presidente Bolsonaro cedeu a todas as pressões da ditadura comunista chinesa, a despeito de sua retórica contrária nas redes sociais e na campanha.

Jair Bolsonaro demitiu seu antigo chanceler, Ernesto Araújo, e mudou a política externa brasileira para alinhar-se ao eixo russo-chinês. Nomeou um ministro para o setor de telecomunicações, Fabio Faria, com a missão de assegurar o ingresso da Huawei na Rede 5G brasileira sem qualquer dificuldade ou impedimento institucional. Fonte: Daily Mail | The Straits Times | News Times | Reuters.

O Crítica Nacional é uma mídia independente que mantém-se fiel ao compromisso com a verdade e a defesa de valores conservadores, e precisa do apoio de seus leitores para continuar. Apelamos ao nosso público para contribuir conosco pelo PIX: 022.597.428-23 ou através deste link para fazer assinatura de apoio.
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE